Brasil terá fábrica nacional de carros elétricos em 2014, afirma empresário

Tesla S

Da indústria extrativa a portos, estaleiros, passando por restaurantes e ao segmento hoteleiro, o empresário Eike Batista planeja agora entrar no setor automotivo. O oitavo homem mais rico do mundo anunciou nesta quarta-feira a construção de uma montadora majoritariamente brasileira – que possivelmente se chamará FBX, mais uma empresa do grupo EBX.

A nova fábrica de veículos será erguida no Porto do Açu, no norte do Rio de Janeiro, num prazo da ordem de quatro anos. O primeiro carro, segundo Eike, deve ser produzido já em 2014. A ideia é produzir 100 mil unidades, na sua maioria composta de carros elétricos. Produzir veículos elétricos no Brasil será “o pulo do gato” do empresário, em suas próprias palavras. Indagado sobre a falta de incentivos à nova tecnologia no País, Eike dá de ombros:

“Fazer o certo é fazer megaeficiente, tem que funcionar bem. Tem que funcionar sem incentivo. Os projetos do grupo funcionam pensando em zero de incentivo. Se tiver incentivo, que bom”. O governo ensaiou em meados deste ano um pacote de incentivo ao carro elétrico, mas acabou cancelando o programa por falta de consenso entre os ministérios.

Parceiros

Eike informou que o projeto já tem pelo menos dois parceiros internacionais, cujos nomes não foram revelados. Uma empresa europeia ficará encarregada do design e uma japonesa, da tecnologia de motor e bateria.

Indagado sobre a possibilidade de o investimento chegar a US$ 1 bilhão (R$ 1,7 bilhão, em valores atuais), Eike Batista confirmou. Ele ressalvou, no entanto, que os números ainda não estão definidos.

O empresário pretende bater às portas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) nos próximos 12 meses para garantir apoio financeiro. “Eles apoiam as montadoras internacionais, por que não apoiar uma montadora nacional?”, questionou.

Aposta no carro elétrico

“O Brasil vai produzir, em breve, oito milhões de automóveis por ano. Em breve, o mercado de carros elétricos vai virar”, disse ele. O País produz atualmente cerca de 3,5 milhões de carros por ano.

O nome da empresa ainda não está definido, mas Eike mencionou “FBX – Fábrica Brasileira de Automóveis”, somada ao clássico X, marca do empresário em suas empresas.

Eike Batista aposta no gasto reduzido com combustíveis para atrair consumidores. “Duvido que não comprem. E aí aos poucos o Brasil vai perceber que é importante ter (o carro elétrico)”, anunciou, na Rio Oil and Gas 2010, a maior feira do setor de petróleo na América Latina, que acontece nesta semana no Rio.

Não é a primeira vez …

O projeto do empresário não é a primeira montadora brasileira. A Gurgel Motores, montadora genuinamente nacional produziu durante alguns anos modelos de automovéis, chegando a desenvolver seu próprio motor. Para Eike, a empresa não foi adiante porque formou parceria pouco estratégica com uma multinacional.

O próprio Eike Batista tentou fundar uma montadora em Pouso Alegre, em Minas Gerais. Segundo ele, cometeu o mesmo erro da Gurgel: uma parceria ruim para a empresa.

Fonte: iG Economia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s